quinta-feira, fevereiro 19, 2015

Anão sem os dois braços é preso suspeito de golpes

Image-0-Artigo-1800114-1

De acordo com a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), foram apreendidos carteiras de identidades com a foto do suspeito e nomes diferentes
Image-1-Artigo-1800114-1
Dezenas de cartões bancários e de crédito também estavam em poder dos dois homens. O material foi confiscado e está sendo analisado pelos policiais civis
Um homem de 30 anos com nanismo e que não possui os dois braços foi preso sob suspeita de aplicar uma série de golpes contra instituições bancárias sediadas em Fortaleza. Marcelo da Silva acabou detido durante o Carnaval em um hotel na Avenida Dioguinho, na Praia do Futuro, junto com outro homem identificado como Flavenilton Jacinto da Silva, 26.
A prisão da dupla, que foi divulgada ontem, é resultado de uma investigação da Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em parceria com a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), para onde os dois homens foram levados e autuados em flagrante por falsificação de documento público, particular e falsidade ideológica.
De acordo com o delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da DDF, Marcelo é anão e não possui os dois braços. O suspeito apresentou nome falso e estava com vários documentos com a foto dele e nomes diferentes. Até mesmo no momento da autuação em flagrante na Delegacia, ele tentou confundir os policiais. "Como ele não tem digitais tivemos dificuldade para confirmar a verdadeira identidade dele. Em alguns documentos constava a informação, ausência total de dedos, mas em outros não", disse Jaime Linhares.
Em poder da dupla, os policiais apreenderam uma vasta documentação usada nos golpes como cartões de crédito e bancários, RGs e contas de energia. "Ele tinha, pelo menos, quatro contratos prontos para obter empréstimos consignados nos bancos Itaú e Bradesco, em nome de terceiros. Os valores que ele conseguiria variavam de R$ 5 mil a R$ 16 mil", revelou Linhares.
Mentor
Conforme o titular da DDF, Marcelo era quem orquestrava todos os golpes aplicados pela dupla. "Ele planejava tudo e contava com a participação do comparsa na hora da execução".
Linhares afirmou que entre os objetos apreendidos em poder dos dois homens está uma máquina para gerar boletos de pagamento de energia elétrica e um pen drive com todas as informações sobre as fraudes. "No aparelho encontramos uma lista de nomes com números de documentos que seriam confeccionados para aplicação dos golpes".

0 comentários:

Postar um comentário